Tomar, the Templar City. This year presenting the one and only Festa dos Tabuleiros / Tomar, a Cidade Templária. Este ano, apresentando a exclusiva Festa dos Tabuleiros

This is where we will enjoy 2 parties that will transport us through a fun tunnel of time. The first will be the beautiful Festival dos Tabuleiros that takes place every 5 years. The second, also in Tomar is the Templar Festival.

The city

Former headquarters of the Order of the Templars, Tomar is a very charming city, both for its artistic and cultural wealth. The oldest urban medieval area, is displayed in a cross shape, oriented by the cardinal points and at each end of this cross there is a convent.

Ans it is in this city that we can find the traditional commerce and enjoy the delicacies of conventual pastry: almond and chila queijadas and the traditional Tomar slices, made with egg yolks and boiled in a special sauce pan, invented by a city scraper in the middle of the last century.

The Convent of Christ

Historic heritage, the Convent of Christ is one of the most important works of the Renaissance in Portugal. It is worth to see the Convent with attention to discover some jewels, such as the representations in the Renaissance portal, the particular symbology of the Manueline Window of the Chapter Room, the architectural details of the Main Cloister and the dependencies linked to the Templar rituals.

To better understand their history, it is important to know how the Order of the Knights of the Temple became the Order of Christ, safeguarding the power, knowledge and wealth they had in Portugal. The celebrated Infante D. Henrique, mentor of the epic of the Discoveries, was one of its governors and more important protectors. But that is another post.

Another must-see is the Aqueduto dos Pegões, built in 1593, whose 6 km long area had the purpose of supplying the Convent of Christ with fresh water.

Tomar Castle and the Templar Festival

In 1160, as part of the defensive line of the Portuguese capital of the time, Coimbra, the master of the order of the Templars decided to build a new castle

The Templar Festivals take place in Portugal in July and honour the 1190 battle between 900 Moors led by the King of Morocco, Abu Iúçufe Iacube Almançor, and only 200 Portuguese who fought and reconquered the castle of Tomar, the seat of the Order of Christ. The battle lasted 6 days and the Templar’s defense was so fierce that the assault door became known as the Gate of Blood.

In addition to witnessing the struggles of the Christian Reconquest during the 12th century, Tomar preserves an interesting testimony of the Hebrew religion, the ancient synagogue of the 15th century located in the old Rua da Judiaria that has a valuable documentary and epigraphic collection of artifacts.

The Festa of Tabuleiros – A Definite Must-See

However, the Festa of Tabuleiros is the most important celebration of the city of Tomar. Also known as the Feast of the Holy Spirit, it is held every 4 years at the beginning of July.

The most characteristic feature of this party is the Parade or Procession of the Tabuleiros, which represent the parishes of the county and runs along the streets of Tomar for 5 km, flanked by the flags the population hang from their windows.

Another of the oldest and original traditions of Tomar present at the Festa dos Tabuleiros, are the rugs of paper flowers on the streets of the city. The streets of the historic center are ornamented with flowers giving color and joy to the Templar city.

It is believed to be one of the oldest festivals in the country going back to the feasts of the emperor, instituted by D. Dinis and Queen Santa Isabel, within the framework of the cult of the Holy Spirit. They also have to do with ancestral practices of handing over the first harvests to the Goddess Ceres and celebrating the fertility of the earth.

The old tradition of oxen sacrifice, whose flesh would be distributed to all at the end of the Festa of Tabuleiros, remained until 1895. From 1966 on, the oxen of the Holy Spirit returned to the procession, but now only with symbolic functions.

  • Aqueduto de Pegões
  • Castelo de Tomar
  • Convento de Cristo
  • Tomar Castle
  • Convent of Christ
  • Convent of Christ
  • Aqueduto de Pegões
  • Aqueduct of Pegões
  • Tomar, Templar city
  • Tomar, cidade Templária
  • Tomar, Templar city
  • Aqueduto de Pegões
  • Aqueduto de Pegões
  • Aqueduct of Pegões
  • Tomar, Templar Festival
  • Tomar, Festival Templário
  • Tomar, Templar Festival
  • Tomar, Festival Templário
  • Tomar, Templar Festival
  • Tomar, Templar Festival
  • Tomar, Festival Templário

É aqui que curtiremos 2 festas que nos transportarão por um divertido túnel do tempo. A primeira será a linda Festa dos Tabuleiros que ocorre a cada 5 anos. A segunda, também em Tomar, é o Festival Templário.

A cidade

Antiga sede da Ordem dos Templários, Tomar, é uma cidade de muito charme, tanto pela sua riqueza artística quanto cultural. A área urbana mais antiga, medieval, está disposta em cruz, orientada pelos pontos cardeais e tem um convento em cada extremo.

Aqui podemos encontrar o comércio tradicional e apreciar as delícias da doçaria conventual: queijadas de amêndoa e de chila e as tradicionais Fatias de Tomar, confeccionadas apenas com gemas de ovos e cozidas em banho-maria numa panela muito especial, inventada por um latoeiro da cidade em meados do século passado.

O Convento de Cristo

Patrimônio histórico, o Convento de Cristo é uma das mais importantes obras do Renascimento em Portugal. Vale a pena ver o Convento com atenção para ir descobrindo algumas preciosidades, como as representações no portal renascentista, a particular simbologia da Janela Manuelina da Sala do Capítulo, os pormenores de arquitetura do Claustro Principal e as dependências ligadas aos rituais templários.

Para melhor entender a sua história, é importante saber como a Ordem dos Cavaleiros do Templo se transformou em Ordem de Cristo, salvaguardando o poder, o conhecimento e a riqueza que tinham em Portugal. O célebre Infante D. Henrique, mentor da epopéia dos Descobrimentos, foi um dos seus governadores e protetores mais importantes.  Mas este é outro post.

Outro monumento imperdível é o Aqueduto dos Pegões, construído em 1593 cujos 6 km de extensão tinham a finalidade de abastecer de água o Convento de Cristo

O Castelo de Tomar e suas Festas Templárias

Em 1160, como parte da linha defensiva da então capital Coimbra, o mestre da ordem dos templários decidiu pela construção de um novo castelo

As Festas Templárias se realizam em Portugal, em julho e marcam justamente a batalha de 1190 entre 900 mouros liderados pelo rei do Marrocos, Abu Iúçufe Iacube Almançor, e apenas 200 portugueses que lutaram e reconquistaram o castelo de Tomar, sede da Ordem de Cristo. A batalha durou 6 dias e a defesa dos Templários foi de tal forma feroz que a porta de assalto ficou conhecida como Porta do Sangue.

Para além de ter testemunhado as lutas da Reconquista Cristã, no séc. XII, Tomar preserva um interessante testemunho da religião hebraica, a antiga Sinagoga do séc. XV, situada na antiga Rua da Judiaria abriga uma valiosa coleção documental e epigráfica.

A imperdível Festa dos Tabuleiros

No entanto, a Festa dos Tabuleiros é a celebração mais importante da cidade de Tomar. Também conhecida como a Festa do Espírito Santo, realiza-se de 4 em 4 anos, no início do mês de julho.

O traço mais característico desta festa é o Desfile ou Procissão dos tabuleiros, que representam as freguesias do concelho e percorre a ruas de Tomar por 5 km, ladeado pelas colchas que a população pendura na janela.

Outra das tradições mais antigas e originária de Tomar presente na Festa dos Tabuleiros, são os tapetes de flores de papel nas ruas da cidade. As ruas do centro histórico são ornamentadas com flores dando cor e alegria à cidade templária.

Acredita-se que se trata de uma das mais antigas festas do país remontando às festas do imperador, instituídas por D. Dinis e pela Rainha Santa Isabel, no quadro do culto do Espírito Santo. Têm também a ver com práticas ancestrais de entrega das primeiras colheitas à Deusa Ceres e celebração da fertilidade da terra. 

A antiga tradição do sacrifício dos bois, cuja carne seria distribuída a todos no final da Festa dos Tabuleiros, manteve-se até 1895. A partir de 1966, os bois do Espírito Santo voltaram ao cortejo, mas agora só com funções simbólicas.